António Variações, 39 anos (Jun 1984)
ID: #12026
Data de Nascimento:   03/12/1944
Data do Falecimento:   13/06/1984
Figura Pública:   sim
Categoria / Profissão:   Músicos
Endereço do Cemitério:   Fiscal, Amares Braga
Mapa Google:   Fiscal, Amares Braga

António Variações começou a trabalhar desde cedo para ajudar os pais. Aos 12 anos mudou-se para Lisboa onde trabalhou como aprendiz de escritório, barbeiro, balconista e caixeiro. Foi para Angola cumprir o serviço militar, e depois passou por Londres e Amesterdão.

Quando voltou para Lisboa foi trabalhar para o primeiro salão de cabeleireiro unissexo em Portugal. Mais tarde viria a abrir uma barbearia na baixa lisboeta.

Deu início aos espectáculos com o grupo Variações, atraindo de imediato atenções. Se por um lado o seu visual excêntrico não passava despercebido, por o outro a sua música também não. Em 1978 assinou contrato com a discográfica Valentim de Carvalho.

Editou o primeiro single com os temas 'Povo que Lavas no Rio' de Amália Rodrigues, e 'Estou Além'. Em seguida, gravou o seu primeiro LP, 'Anjo da Guarda' com dez faixas, todas da sua autoria, onde se destacaram os êxitos 'É p´ra Amanhã' e 'O Corpo É que Paga'.

O segundo trabalho, 'Dar e Receber', foi lançado em 1984. Aparece pela última vez em público no programa televisivo 'A Festa Continua', de Júlio Isidro. Quando 'Canção do Engate' invadiu as rádios portuguesas, António Variações já estava internado no hospital.

Morreu de broncopneumonia. Suspeita-se que tenha sido desencadeada pelo vírus da SIDA. O corpo do António Variações, foi transladado para Fiscal, Amares, sua terra natal, onde está sepultado e ainda nos dias de hoje continua a ser visitado por gente anónima oriunda um pouco de todo o país.

Mapa Google
Deixe um comentário


Introduza a sequência visível na caixa abaixo.